Escolha uma Página

As Tartarugas Marinhas são animais que habitam mares tropicais e subtropicais por todo o globo. Quer saber mais sobre essas lindas criaturas? Leia nosso artigo!

As tartarugas marinhas são animais formidáveis. De uma beleza espetacular, essas criaturas correm diversos riscos ligados a sua extinção. Apesar disso, muitos projetos de várias organizações diferentes lutam para que isso não aconteça.

O Terravista Brasil também apoia a deia de preservação da biodiversidade e por isso tem muitas áreas que são reservas naturais. Além disso, o complexo age em algumas ações para ajudar essa causa. Mas antes de começarmos, você sabe algo sobre as tartarugas marinhas?

Confira nesse artigo fatos e curiosidades sobre esses lindos animais que habitam os oceanos!

As Tartarugas Marinhas

As tartarugas marinhas são seres aquáticos que correm grande risco de extinção. Todas as suas espécies estão ameaçadas, e isso se deve principalmente devido a caça. Essa ordem de tartarugas denominadas “marinhas” incluem sete espécies.

A característica principal da tartaruga marinha é seu casco que envolve seu corpo, protegendo-as de variações climáticas, predadores e até pressões ambientais. Essa estrutura é formada por uma fusão de elementos de seu corpo: os ossos de sua coluna vertebral, com sua cintura pélvica e sua costela. Quando adultas, as tartarugas marinhas podem medir de 55 centímetros a impressionantes 2 metros de comprimento curvilíneo de carapaça.

Normalmente pesam entre 35 a 900kg. De acordo com a espécie, as tartarugas marinhas apresentam um dimorfismo sexual. Ou seja, machos adultos possuem características diferentes das tartarugas fêmeas. A sua cauda fica mais longa e para ajudar a segurar a fêmea durante a cópula, uma grande garra curvada aparece para dentro das nadadeiras anteriores.

A maioria das espécies consideradas tartarugas marinhas tem garras em seus membros, normalmente 2. A primeira garra geralmente é um pouco maior que a segunda (a que se curva nos machos adultos). Para identificar uma espécie que é diferente da outra, você deve observar suas características externas. Isso é, o número de escamas em sua cabeça, número de unhas, no arranjo de seus escudos na carapaça ou até o formato do crânio de cada espécie.

tartarugas marinhas

Espécies de Tartarugas Marinhas

As tartarugas marinhas são compostas por quatro famílias, mas duas já estão extintas. As extintas são as Toxochelyidae e a Protostegidae, e as que restam são as Cheloniidae e Dermochelyidae. Essas tartarugas são seres migratórios, que voltam para a praia que nasceram na época de reprodução para depositar seus ovos. As espécies são:

Cheloniidae

  • Chelonia mydas sp (Cheloniidae): Essa tartaruga é conhecida como tartaruga verde. Essa espécie pesa em média 160 quilos e tem 1.5 metros de comprimento quando adulta. Elas tem o nome de tartaruga verde devido a sua cor esverdeada característica. As Chelonia mydas são encontradas aqui no Brasil.
  • Caretta caretta sp (Cheloniidae): Essas tartarugas que ganharam o apelido de “cabeçudas” podem medir até 1.5 metros de comprimento. Essa espécie, diferente da Chelonia, é totalmente carnívora, e se alimenta de diversas presas como: caranguejos, mexilhões, moluscos e outros invertebrados. Ela tritura o alimento com os poderosos músculos que tem na mandíbula. Elas pesam em torno de 140 kg e são encontradas no Brasil.
  • Eretmochelys imbricata sp (Cheloniidae): Essa espécie, conhecida como tartaruga legítima ou “de pente”, pesa em média 85 kg e ganhou seu nome devido as placas do casco, que se “imbricam” como se fossem telhas. Com seu estreito bico, esses animais se alimentam de corais, ou seja, anêmonas, esponjas, camarões e até lulas. São encontradas no Brasil.
  • Lepidochelys olivacea sp (Cheloniidae): Essa espécie tem uma dieta muito variada porém carnívora, se alimentando de peixes, crustáceos, moluscos e eventualmente algumas algas. São conhecidas como tartarugas oliva, e pesam cerca de 40kg com 72 cm de comprimento.
  • Lepidochelys kempii sp (Cheloniidae): Essas tartarugas, chamadas de tartarugas kemp, são bem leves em comparação com as citadas acima, pesando entre 35 a 50 quilos. Elas tem 70 cm de comprimento e se alimentam principalmente de caranguejos. Estes, que são capturados em águas mais rasas.
  • Natator depressus sp (Cheloniidae): Essa espécie é endêmica da Austrália. Devido a isso, são chamadas de tartarugas australianas. Chegam a até 1 metro de comprimento pesando cerca de 70 quilos. Essa espécie se alimenta de diversas coisas, desde pequenos invertebrados e pequenos vertebrados a algas.

Dermochelydae

  • Dermochelys coriacea sp (Dermochelydae): As tartarugas gigantes ou de couro como são chamadas, são as maiores entre esse grupo. Elas chegam a até 1,80 metros de comprimento e podem pesar até 400kg. Sua dieta é basicamente restrita a zooplâncton gelatinoso. Isso é, celenterados, salpas e pirossomos. Só suas nadadeiras dianteiras podem chegar a 2 metros de comprimento. Outra característica peculiar é a falta de placas na carapaça quando são adultas. Por isso o nome, “tartarugas de couro”.

Um fato curioso sobre essas criaturas é o seu tempo de existência. Esses répteis evoluídos das tartarugas de água doce existem há mais de 180 milhões de anos.

Preservação da biodiversidade

As tartarugas marinhas correm grande risco de serem extintas do planeta terra. A extinção em massa desses animais marinhos são consequência de diversos fatores. Estes, que são em sua maioria, culpa do descuidado dos seres humanos com a natureza.

Um dos principais motivos de sua extinção são as caças intensivas pelas suas carapaças. Aqueles que caçam também utilizam sua carne para fazer uma sopa de sua gordura. Mesmo com leis mais estreitas e a caça sendo controlada, as grandes redes de pescas acabam matando em média 40 mil tartarugas, por ano.

Outra das grandes ameaças a vida desses seres é o desenvolvimento costeiro nas áreas de nidificação. Isso, impede as fêmeas de pôr os ovos e impossibilita a sua reprodução.

Apesar desses fatores atrapalharem o desenvolvimento biológico de diversos lugares que são habitats naturais desses seres marinhos, muitos projetos e ações visam salvar esses animais e mudar a situação em que essas espécies se encontram atualmente.

Hoje, a situação das espécies sobreviventes é assustadora.  Absolutamente TODAS as espécies de tartarugas marinhas estão incluídas nas listas de espécies ameaçadas de extinção. Observe o status de conservação de cada uma das espécies, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais:

  • Dermochelys coriacea – criticamente ameaçada
  • Eretmochelys imbricata – criticamente ameaçada
  • Chelonia mydas – em perigo
  • Lepidochelys olivacea – vulnerável
  • Caretta caretta – em perigo
  • Natator depressus – dados insuficientes
  • Lepidochelys kempii – criticamente ameaçada

Projeto Tamar

tartarugas marinhas

O projeto TAMAR, antes conhecido como Projeto Tartaruga Marinha em 1980 quando foi fundado, segue uma missão muito importante para a vida dessas espécies. Essas espécies de tartarugas marinhas sofrem ameaças e diversos impactos causados por fatores diferentes:

  • impacto do desenvolvimento costeiro acelerado;
  • captura incidental por redes de pesca;
  • caça para consumo humano da carne e da gordura das tartarugas;
  • mudanças climáticas;
  • poluição;
  • patógenos;

No projeto TAMAR, o principal objetivo é conservar, preservar, pesquisar e manejar as cinco espécies de tartarugas marinhas que são presentes em nosso país. Essa organização é famosa e atualmente vista como referência em questão de conservação de tartarugas, protegendo cerca de 1100 km de praias.

Essas praias possuem áreas de alimentação, crescimento, desova e descanso desses animais. Isso tudo em mais de nove estados brasileiros, sempre no litoral e em ilhas oceânicas. Além disso, o projeto TAMAR realiza muitas ações permanentes de educação ambiental.

O projeto sempre visa sempre mostrar a importância da preservação do ciclo de vida desse animal. Tanto para moradores, quanto para turistas, pescadores e empresários.

Terravista Brasil

O complexo Terravista Brasil, também realiza ações e projetos para preservar a Mata Atlântica baiana e brasileira. Com duas Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs), que totalizam 362,53 hectares de conservação, e mais 71 hectares de Reservas Legais, onde a urbanização não é permitida, o Terravista Brasil faz questão de lutar pela causa ambiental e sustentável da sua região.

Além disso, desde 2005 o Terravista desenvolve projetos e ações voltadas para a comunidade e para o público interno. Assim são dadas palestras com focos ambientais, ações de plantios de árvores, campanhas e até implementação de hortas em escolas.

Com isso em mente, o Terravista também ajudou as tartarugas marinhas. O Terravista em conjunto com Sozaque, salva vidas do Club Med, soltaram e acompanharam o nascimento de diversas tartaruguinhas em Trancoso.

Quem ama, preserva! Preservar o meio ambiante é preservar a vida como um todo. Saiba mais sobre nosso conceito clicando aqui.

Conheça o nosso conceito!

Facebook Comments

Precisa de ajuda? Fale conosco