Escolha uma Página

A História do Hip Hop nos conta muito mais do que música, mas a manifestação de um grupo étnico e cultural americano.

Olá, tudo bem?

Que o hip hop é muito bom de se escutar principalmente por suas fortes batidas, não é novidade, mas você conhece sua história?

Assim como a grande maioria dos ritmos nascidos na América, possui influência de subúrbios e esta relacionado a uma crítica social.

Interessante, bonito e único, o movimento cultural carrega consigo singularidades impressionantes ao longo do tempo.

Logo após surgir, no South Bronx em Nova York, não demorou muito para ser reconhecido mundialmente como uma nova febre, principalmente entre os jovens..

Então, caso queira conhecer melhor a História do Hip Hop, acompanhe-nos até o final do conteúdo e deixe um comentário caso tiver alguma dúvida.

Sem maiores delongas, vamos lá. Leia conosco!

História do Hip Hop

História do Hip Hop

História do Hip Hop

A história do hip hop é uma das mais interessantes que você poderá ler dentre os principais movimentos musicais.

Isso acontece porque seu palco principal é a América, e quando mencionamos o termo “América”, estamos falando de todo o continente.

Possuindo raízes latinas, sul-americanas, jamaicanas e estadunidenses dos subúrbios de Nova York, tornou-se um sucesso mundial.

Possui uma subcultura própria, ou seja, um conjunto de particularidades culturais próprias que se distancia do modo de vida comum, mas sem se desprender totalmente da sociedade.

Uma espécie de crítica ao sistema.

Surgiu por volta da década de 1970, nos locais que citamos, sob forte influência dos subúrbios e locais mais carentes das cidades.

Novamente ressaltamos que a história do hip hop está intimamente ligada a crítica ao sistema em que vivemos.

O termo “hip” é usado no inglês vernáculo afro-americano desde 1898, onde significa algo atual, que está acontecendo no momento, e “hop” refere-se ao movimento de dança.

Afrika Bambaataa

Afrika Bambaataa

Afrika Bambaataa

A história do hip hop é cheia de características singulares, pois diferentemente de outros ritmos musicais, esse possui um criador reconhecido por toda a comunidade musical.

Dessa forma, torna-se ainda mais único.

Afrika Bambaataa, é um cantor, compositor, produtor musical e DJ estadunidense conhecido por ser líder da banda Zulu Nation.

É o criador do hip hop por ter sido o primeiro a utilizar o termo e dar as bases técnicas e artísticas para o hip hop, formando assim uma nova cultura.

Apesar de possuir outros locais em que se disseminou o movimento, a história nos conta que a manifestação musical se expandia principalmente nos bairros negros e latinos da cidade de Nova York.

Afinal, os bairros congregavam DJs, MCs, Writers (grafiteiros), B.boys e B.Girls (dançarinos de Breaking).

Suas contribuições musicais serviram de base para o movimento. Mas ainda tem mais. Isso porque Bambaataa também é reconhecido por ter inovado os paradigmas do electro.

Dessa forma, a versatilidade que trouxe ao som dos subúrbios é realmente incrível.

Vale ressaltar que Afrika Bambaataa estabeleceu seis pilares essenciais que formam o som e a história do hip hop, conheça um pouco de cada um:

Rap

Discurso rítmico com rimas e poesias, que surgiu no final do século XX entre as comunidades afro-descendentes nos Estados Unidos.

Disc jockey

Disc jockey

Disc jockey

Um artista profissional seleciona e reproduz as mais diferentes composições, previamente gravadas ou produzidas na hora. Podemos então considerar esse artista como um dos primeiros DJs remixadores da história da música.

Break dance

Um estilo de dança de rua, parte da cultura do movimento criada por afro-americanos e latinos na década de 1970 em Nova York, Estados Unidos, normalmente dançada ao som do funk ou breakbeat.

Grafite

Grafite

Grafite

Uma inscrição feita em paredes, existentes desde o Império Romano. Considera-se grafite uma inscrição caligrafada, um desenho pintado ou gravado sobre um suporte que não é normalmente previsto para esta finalidade.

Beat box

Refere-se à percussão vocal do hip hop. Consiste na arte de reproduzir sons de bateria com a voz, boca e nariz.

Também envolve o cacarejo, imitação vocal de efeitos de DJs, simulação de cornetas, cordas e outros instrumentos musicais, além de outros efeitos sonoros.

MC (Mestre de cerimônias)

Mestre de cerimônias é o porta-voz que relata, através de rimas, os problemas, carências e experiências em geral dos guetos. Não só descreve, mas também lança mensagens de alerta e orientação.

O MC tem, como principal função, animar uma festa e contribuir com as pessoas para se divertirem. Muitos MCs no início davam recados, mandavam cantadas e animavam as festas com algumas rimas.

Grande manifestação artística

Essa união entre seis pilares distintos nos mostra que o hip hop é muito mais do que apenas música.

Apesar de ser expressado principalmente pela música, a história do movimento nos mostra que a manifestação cultural está ligada principalmente a arte.

Uma forma de expressar opiniões, sejam elas ligadas ao descontentamento ou aprovação social.

Break dance

Break dance

E então, o que achou de conhecer um pouco melhor sobre a história do hip hop, seu criador e principais pilares? Ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje? Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Conheça o Teatro L'Occitane

Facebook Comments

Precisa de ajuda?Fale conosco