A Força Aérea Brasileira tem grande influência em toda a história e a evolução da aviação no brasil. Em 23 de outubro de 2018 está comemorando seus 78 anos de criação.

A princípio a história da aviação brasileira se dá muito antes da criação da Força Aérea Brasileira. Tudo começou com o aeronauta e inventor brasileiro Alberto Santos Dumont, considerado por muitos como o “pai da aviação”.

História

força aérea brasileira

(Na foto um F-5E Tiger II, caça usado pela FAB. Foto de Aereo.)

Foi nesta mesma data comemorativa de 23 de outubro, que Santos Dumont realizou seu primeiro voo com sucesso. A bordo de seu 14-Bis, Dumont sobrevoou a capital francesa em 1906. Chegou a 2 metros de altura concluindo um trajeto de 60 metros por sete segundos. Assim conseguiu provar o que lhe faltava: a capacidade de dirigir um aeroplano.

Contudo, somente no final daquele ano Santos Dumont conseguiria um de seus maiores feitos. O primeiro voo homologado da história aconteceu em 12 de novembro de 1906.

Desse modo, Dumont ganhou o Prêmio do Aeroclube da França. Seu 14-Bis sobrevoou a seis metros de altura um trajeto de 220 metros, em um tempo de 21 minutos e dois segundos.

Oito anos depois a Europa seria o palco de um dos maiores conflitos da humanidade, a Primeira Guerra Mundial. Em consequência às tensões geradas pelas potências mundiais, o governo entrou em acordo com a França para realizarem uma missão.

A missão consistia em enviar pilotos franceses até o Rio de Janeiro. Ou seja, tinha o intuito de treinar brasileiros da Marinha e do Exército.

O início

força aérea brasileira

(Na foto um Northrop N-1M, aeronave usada pela FAB. Foto de Wikipedia.)

Como resultado aos conhecimentos trazidos pelos franceses, originou-se no dia 2 de fevereiro de 1914 a Escola Brasileira de Aviação. Ainda assim, a participação do país na guerra foi muito pequena.

Por fim em 1918 um grupo de aviadores brasileiros foi integrado à Força Aérea Real Britânica, e um corpo médico foi integrado ao exército francês. Isto é, Brasil prestava serviços tanto na retaguarda quanto participado de combates no front.

Em suma, a maior participação militar brasileira no conflito foi da Marinha. Foi enviada uma esquadra naval para patrulhar a costa noroeste da África, tentativa de evitar a ação de submarinos inimigos.

Criação da Força Aérea Brasileira

força aérea brasileira

(Foto de Aereo.)

A Força Aérea tinha tomado tamanha proporção que passou a ser considerada um poder único e estratégico. Nesse meio tempo, foi criado o Ministério da Aeronáutica juntamente com a FAB, no dia 20 de janeiro de 1941.

A partir deste momento, a FAB participou de diversas missões nacionais e internacionais. Dentre elas as famosas batalhas da Itália durante a Segunda Guerra Mundial. O grande destaque do apoio brasileiro aos Aliados foi em 1944, quando foram enviados 42 pilotos e 400 homens da Força Aérea Brasileira ao solo italiano.

Durante o conflito foi criado o 1º grupo de caça brasileiro, que tinha o grito de guerra “Senta a pua!”, frase que foi estampada no desenho do “mascote” da FAB: um avestruz empunhando um revólver e um escudo com o cruzeiro do sul estampado. O desenho foi ideia de Fortunato Câmara de Oliveira, que além de capitão aviador também era cartunista.

Em virtude da criação da FAB, os anos seguintes foram marcados pela evolução do cenário aeronáutico brasileiro. Graças ao crescimento da infraestrutura e da capacidade tecnológica da instituição, a FAB permitiu a organização da aviação civil e militar por todo o país.

Muitos ainda vivem com a eterna dúvida de quem realmente inventou o avião, mas é certo que a Força Aérea Brasileira sempre foi um grande contribuidor a todo o setor de segurança aérea do Brasil, como seu próprio lema diz: Asas que protegem o país.

Conheça o Aeroporto Terravista

Facebook Comments