Escolha uma Página

No Brasil, existem vários países dentro de um só. Portanto, cada estado possui características peculiares que se relacionam aos mais diversos fatores. A Bahia não é diferente. A comida baiana não é diferente. Cheia de influências, essa culinária, que tem o coração de boa parte dos brasileiros, é rica e deliciosa. Confira um pouco da sua história e características!

Origem e principais influências da comida baiana

Índios, portugueses e africanos. Poderíamos estar falando dos primeiros anos de descobrimento do Brasil, mas estamos falando da comida baiana. Essas são as origens e as principais influências dessa culinária.

Se os índios já plantavam mandioca e milho para fabricar pirão, beijus e bebidas fermentadas, os portugueses trouxeram cozidos de carne de boi com legumes, sardinha, bacalhau e doces finos. Todavia, com a escravidão, os africanos inseriram na cozinha baiana diversos ingrediente típicos. A pimenta malagueta, o quiabo e o azeite de dendê, conferindo outro tempero às moquecas e mariscadas, foram alguns deles.

Eventualmente, a comida baiana se tornou uma mistura de tudo isso. Então, quando se fala na culinária da Bahia, se fala de várias cozinhas baianas. Uma delas é a cultura no dendê, que tem o azeite de dendê como elemento mais forte. Juntamente com o azeite, vem o leite de coco, o gengibre e diversas pimentas. Proveniente da culinária africana, essa cozinha se faz mais presente no Recôncavo e no litoral da Bahia.

Ainda assim, não representa nem 30% do que seus habitantes consomem diariamente. A comida que vem da África está reservada, por tradição e hábito, às sextas-feiras. Então, durante os outros dias, o baiano se alimenta dos pratos da vertente portuguesa.

comida baiana

No sertão, a história é outra: carne seca, mingau, pirão, cuscuz, bolos e doces variados de frutas são mais presentes. Ou seja, a comida baiana depende diretamente da localização no estado.

Tradições e costumes

Uma das tradições e costumes da comida baiana está ligada à religião. O preparo dos pratos de origem africana, por exemplo, quando feito de forma mais simples, sem muito tempero, se relaciona aos terreiros de candomblé. Neste caso, são feitos como oferendas aos orixás. Quando feitos fora do terreiro, são mais carregados no tempero e mais saborosos.

Ingredientes mais presentes na comida baiana

Se existem várias cozinhas baianas dentro do mesmo estado, é preciso ter consciência de que cada uma delas traz ingredientes específicos. Entretanto, tomando como base a comida baiana mais conhecida por turistas (de Salvador e do litoral), a maioria dos pratos típicos são heranças da culinária africana.

E o dendê é o grande astro. Para o historiador Elmo Alves, do Museu da Gastronomia Baiana, “essa cozinha afro baiana, que tem o dendê como alimento principal, é uma cozinha que se eternizou, se preservou, seja pela cultura do candomblé ou outros fatores, e tornou a sua culinária forte atrativa e identitária. Nós falamos em cozinha baiana, automaticamente, vem a imagem do caruru, do vatapá, do abará, da moqueca”.

Pratos típicos

comida baiana

Alguns pratos típicos da comida baiana são conhecidos ao redor do Brasil e do mundo. Veja alguns:

  • Bobó de camarão: reúne camarões, mandioca (ou inhame, em alguns casos), leite de coco e azeite de dendê.

  • Tapioca (ou beiju): comida que se tornou presente em todo o país, por ser uma refeição leve, saudável e saborosa, que permite qualquer recheio. Na Bahia, o tradicional é recheado com raspas de coco e queijo coalho. A tapioca também é um ingrediente utilizado em pudins e bolinhos.

  • Caruru: misto de vegetais refogados em azeite de dendê e quiabo em um molho. É acompanhado de carnes, frango, peixe, camarão seco, farofas, além de ser parte do recheio do acarajé.

  • Acarajé: alimento inserido no contexto da religião do candomblé. Considerado bem cultural pelo IPHAN, é um bolinho feito de feijão fradinho frito em óleo de dendê. Pode ser recheado com caruru, vatapá e especiarias, sendo bem apimentado (“quente”) ou pouco (“frio”). Sua receita é, culturalmente, considerada sagrada, não podendo ser alterada. Somente os filhos de santo podem fazê-la. Às vezes, o acarajé é confundido com o abará, mas a diferença principal é que o abará é cozido em banho-maria.

  • Xinxim de galinha: mistura de galinha, camarão seco e castanhas, com uma pitada de gengibre.

Dentre as sobremesas, existem vários doces tradicionais da comida baiana, como cocadas, bolos, pudins (principalmente de tapioca ou milho), canjica e quindim.

A comida baiana possui uma impressionante riqueza, tal qual a Bahia e suas belezas. Se você já está pronto para experimentar essas delícias, prepare suas malas. O Terravista está pronto para recebê-lo!

Conheça o nosso conceito!

Facebook Comments

Precisa de ajuda? Fale conosco